terça-feira, 29 de maio de 2012

RESUMO DA HISTÓRIA DA IGREJA


RESUMO DA HISTÓRIA DA IGREJA


Pr. Sérgio Melfior*

 I - INTRODUÇÃO

Iniciamos o Estudo da História da Igreja abordando sobre o pano de fundo histórico da época de Jesus. A Bíblia afirma que o Senhor veio na “plenitude dos tempos” (Ef. 1.10 e Gl. 4.4). Esta expressão refere-se a toda a conjuntura formada pela providência divina para que o Messias aparecesse no correto momento histórico e inaugurasse Sua Igreja.
         Os povos que formaram contexto deste momento foram os romanos, gregos e judeus.

 Os Romanos como dominadores mundiais
    
Os romanos contribuíram por ter o poder sobre todas as nações. Sendo assim, os povos se uniram, diminuindo as diferenças através da Pax Romana. E o cristianismo chegou ao Império e se estendeu a todo o mundo de então.

Os gregos e sua grande influência cultural

A cultura grega influenciou pela sabedoria, pois o idioma tomou conta do mundo de então, assim como a filosofia. Eles figuraram como influenciadores culturais, enquanto os romanos tinham o poder político.

Os Judeus e Sua missão através da diáspora

Influenciaram e prepararam os povos pelos seus escritos, moral, fé, pureza e ainda pela dispersão, pois com a diáspora em todo o mundo já existiam judeus. Onde os discípulos chegavam, procuram primeiramente as sinagogas judaicas para evangelizar.

O mundo quando surgiu a Igreja de Cristo

O mundo foi impactado com o surgimento do cristianismo, pois os deuses gregos e romanos perderam a influência, mesmo que posteriormente os imperadores tentaram reavivar estas crenças na época sendo esforço vão. 
As religiões orientais também lutaram incansavelmente contra o cristianismo, mas, mesmo assim ele continuou crescendo. Claro que as religiões e mitologias dificultaram bastante a entrada do cristianismo nas culturas da época.
O intelectualismo, grego principalmente, foi enfraquecido, pois o cristianismo provou que só Jesus satisfaz o anseio da alma.
Além disso, o cristianismo influenciou muito na moral, pois o anseio dos homens era satisfazer seus sentimentos na imoralidade, e agora seus corações foram preenchidos pelo Evangelho de Cristo.


II – DESENVOLVIMENTO

1     – FATOS DO INÍCIO DA HISTÓRIA DA IGREJA CRISTÃ

a)  1° Século

Jesus e seus discípulos
Agora Jesus escolhe os 12 discípulos e cheio de amor e compaixão os prepara para incendiar o mundo. 

Jesus funda a sua igreja
Jesus aplica o seu Jeito simples e convincente na religião, liturgia e no mistério, e o resultado é o sucesso do crescimento.

b)  A igreja apostólica (até ao ano 100 d.C.)

O início da igreja aconteceu quando Jesus escolheu os discípulos, mas a vida da igreja iniciou no Pentecostes, após a ressurreição e ascensão do Senhor.

A primeira pregação do Evangelho, no Pentecostes, foi dirigida unicamente aos Judeus. Os Cristãos não entenderam logo o propósito divino, como hebreus reconheciam Jesus como o messias esperado pelo seu povo, portanto o consideravam como salvador somente ou principalmente dos Judeus, apesar de Jesus por palavras e atos, ter-lhes ensinado coisas diferentes.

A perseguição foi o meio pelo qual a igreja nascente chegou a uma compreensão mais segura do Evangelho que Jesus dera a pregar, e por ela alcançou uma visão mais ampla da obra que Jesus lhe propusera. A partir daí a Igreja passou a pregar o evangelho “a toda a criatura” (Mc. 16.15).
O Cristianismo espalhou-se de sorte que, por volta do ano 100 d.C., havia igrejas em inúmeras cidades da Ásia Menor e em muitos lugares da palestina, Síria, Macedônia e Grécia, em Roma e Puteoli, na Itália, em Alexandria, e provavelmente na Espanha, cada crente era um missionário ansioso por fazer a obra de Jesus. 

A perseguição se multiplica no primeiro século, mas a igreja cresce assustadoramente. Os cultos da Igreja eram basicamente dois: os cultos de oração e as festas do amor ou fraternidade (ágapes). Os locais de reunião eram no Templo (ou sinagogas) e nas casas, provando assim que o discipulado individual e a comunhão diária geravam o crescimento da comunidade cristã (Atos 2.46-47).

A crença da igreja era baseada nas doutrinas dos apóstolos, os ensinos que os apóstolos receberam do Senhor e repassavam aos discípulos que eram formados. Entretanto, os judaizantes tentam confundir a fé exigir além do normal. Mas, nesta época, havia um profundo respeito aos líderes da igreja.


c)  A igreja antiga (100 a 313 d.C.)

No mundo em que a igreja vivia, o cristianismo entrou em todas as camadas sociais. E este crescimento da igreja despertou o medo no governo e a perseguição se multiplicou.
         Nesta época, o legalismo fez surgirem alguns extremos.
Também neste período houve a organização dos campos das igrejas e da hierarquia.

d)  A origem da Igreja Católica (universal)

Não havia governo que exercesse autoridade sobre mais de uma igreja, tanto no 1° século como no 2° século, mais no 3° século, começou surgir uma organização que depois veio a ser conhecida como igreja católica, o termo católica quer dizer universal. Esta foi federação ou associação de igrejas que eram ligadas por um acordo formal, com três aspectos.

No 1° século, as igrejas tinham uma unidade espiritual, pelo amor, unidade baseada na fé em Cristo. No 2° século, além da unidade espiritual havia também uma unidade exterior. As igrejas que faziam parte da associação chamadas “católicas”, eram unidas, primeiro por terem uma só forma de governo, isto é, bispos, presbíteros, diáconos; segundo, pela adoção de um só credo, substancialmente o credo dos apóstolos; e terceiro, por todas reconhecerem e receberem uma só coleção de livros do Novo Testamento. Havia igrejas que não tinham a forma de governo acima descrita, nem concordavam todas com o mesmo credo, nem recebiam alguns dos livros aprovados, essas igrejas eram reputadas pela igreja católica como heréticas.                     

       e)  O Poder clerical na Igreja

Durante esses séculos verificaram-se varias mudanças na atitude do ministério. A distinção entre clérigo e um leigo, desconhecida no 1° século, foi aparecendo gradualmente, bispos, presbíteros e diáconos eram separados, distintos, na posição que ocupavam, dos demais membros das igrejas. O desenvolvimento da idéia de uma moral mais alta deu lugar á crença de que o clero deveria ser celibatário, isso veio a se constituir lei na igreja ocidental no 4° século.

A idéia que o ministro Cristão é um sacerdote, isto é, que ele permanece entre Deus e o homem, começou a prevalecer no 3° século, tal idéia correu paralela com a crença de que a Ceia do Senhor é um sacrifício a Deus oferecido em favor do povo. A idéia do sacerdócio ligava-se especialmente a pessoa do bispo, o oficio de bispo, era então muito elevado, atribuindo-lhe mais poder divino para declarar os pecados perdoados. À proporção que crescia o números de crentes de uma cidade, ficavam todos sob o governo do bispo da igreja matriz.



2     - RESUMO HISTÓRICO DOS PRINCIPAIS EVENTOS DO CRISTIANISMO

(30-100 DC) O tempo de Jesus e dos Apóstolos
  • A morte e ressurreição de Cristo.
  • A fé Cristã nasce e o evangelho da graça é pregado.
(100-312) A Era do Cristianismo Antigo e inicio do Cristianismo Católico
  • A propagação da fé Cristã, o martírio dos primeiros crentes.
  • As primeiras heresias surgiram; primeiros concílios da igreja e a canonização da escritura.
(312-590) A Era do Império Cristão
  • Constantino declara o Cristianismo a religião oficial do império romano; era dos grandes concílios.
  • O Cristianismo tornou-se uma fé para as massas; início do Monaquismo.
·         A confusão começa, os ídolos entram na Igreja e inicia o liberalismo desenfreado.

(590-1517) A Idade Moderna
  • A queda de Roma e o Império Bizantino.
  • Monges beneditinos são enviados como missionários; o papa torna-se o "soberano" da Igreja.
  • As Cruzadas: a igreja ganha o mundo mas perde a sua alma.
 (1517-1648) A Era da Reforma
  • Martinho Lutero e o movimento protestante.
  • O início do denominacionalismo, por exemplo: Igreja Luterana, Reformada, Anabatista e Anglicana.
  • O papado perde o seu poder e influência
(1648-1789) A Idade da Razão e Reavivamento
  • Secularismo - A mente torna-se deus, as pessoas começam a perguntar: "Quem precisa de Deus?"
  • Reavivamentos como o Pietista, Metodista e o Grande Despertar tentam restaurar Deus à vida pública.
(1789-1900) A Era do Progresso
  • A mensagem de Cristo é levada a terras distantes, mas a fé continua a deixar a vida pública.
  • Sociedades pluralistas e totalitárias não vêem nenhuma relevância para o Cristianismo.
(1900-época atual) A Era do Pentecostalismo e das novas ideologias
  • Em 1901  Charles Parham, começa reuniões de oração para Batismo no Espírito Santo no Colégio Bíblico Betel em Topeka, Kansas, EUA. E em 1906 acontece o movimento da Rua Azusa, em L.A., através de  William J. Seymour.
  • Em 1910 chegam ao Brasil Daniel Berg e Gunnar Vingren, onde fundam em 1911 a Assembléia de Deus e até 1950 acontece a primeira onda do movimento pentecostal no Brasil.
  • A partir dos anos 50 acontece a segunda onda pentecostal, com igrejas como a Quadrangular, Deus é Amor e O Brasil para Cristo.
  • Depois de 1970 o neopentecostalismo se desenvolve, através da Igreja Universal do Reino de Deus, Igreja Internacional da Graça de Deus, Renascer em Cristo, entre outras.
  • Atualmente, em 2011, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus alcança o seu centenário, com o desafio de manter a identidade cristã, o crescimento e a presença de Deus em suas Igrejas.

IV. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

NICHOLS, Robert Hastings. História da Igreja Cristã.

SHELLEY, Bruce. Church History in Plain Language.


* Pr. Sérgio Melfior é Pastor Presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Joinville – SC.





MATÉRIA MINISTRADA NA EBOSBS
(ESCOLA BÍBLICA DE OBREIROS DE SÃO BENTO DO SUL - SC)

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom,na verdade benditas boas noticias, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
PS. Se desejar seguir o meu humilde blog, Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.